DOMINGO IN ALBIS

Chama-se este domingo

Quasi modo – das primeiras palavras do intróito e in albis porque nele depunha-se outrora os neófitos a túnica branca do batismo.

Para ensinar a seus filhos recém-nascidos para a graça com que generosidade devem confessar o nome de Jesus, a Igreja condu-los a Basílica de São Pancrácio, que, de doze anos, rendeu ao Senhor o testemunho do seu sangue.

Todo o cristão deve dar testemunho de Cristo. A fé no filho de Deus ressuscitado dar-lhe-á coragem para vencer o mundo, como diz São João. É necessário, pois, que esta fé em Jesus tenha uma base sólida; e a Igreja no-la oferece na missa de hoje. Esta fé tem que ter por base, diz São João, o testemunho das três pessoas divinas e o da água, do sangue e do espírito que no batismo, no calvário e na vida da Igreja e dos cristãos dá testemunho da divindade de Jesus. A dupla aparição do Senhor aos Apóstolos e a incredulidade de Tomé que cede a evidência mas nos confirmam nesta fé.

Pela nossa crença esclarecida e forte e pela nossa conduta impoluta rendamos a divindade do Senhor, no meio desta sociedade corrompida, o testemunho sincero da nossa alma.