A CURIOSIDADE DA RAPOSA VERMELHA: ” O QUE FAZ UM PAPA”?


Ex-ditador cubano Fidel Castro durante encontro com o papa Bento 16


Engraçado a velha raposa comunista “não saber o que faz um Papa” e mostrar-se “curioso” com isso…

Ele sabe muito mais! 

 Sabe que aproxima-se o dia de dar contas a Deus de seus crimes….Com a velhice desaparece a sua sanidade, será?

Não lhe sobrou nenhuma inteligência para que a memória aponte aos seus anos de estudos com os jesuítas? Ah….”raposa vermelha”, um papa faz muita coisa, inclusive confessar tiranos e inimigos da fé que, definhadamente, ver-se no ocaso e no nada de sua vida!…Claro, se Aquele a que você perseguiu e tentou banir , sem sucesso, lhe conceder a graça da contrição perfeita.

 Ele vive, e você está morrendo….

 Ele reina! E você?…Você….

Boa leitura.

Pe. Marcélo Tenorio

_____________________



DA FRANCE PRESSE, EM HAVANA (CUBA)

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

O ex-ditador cubano, Fidel Castro, teve uma “conversa animada” nesta quarta-feira em Havana com o papa Bento 16, a quem fez algumas perguntas, entre elas sobre o sentido das mudanças litúrgicas nas missas, relatou o porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi.
“Soube pelo próprio papa como se desenvolveu o encontro. Segundo Bento 16, foi uma conversa bem animada, com muitas trocas de argumentos”, disse o padre Lombardi aos jornalistas, sobre o encontro de 30 minutos entre os dois líderes, na sede da Nunciatura Apostólica.

“O diálogo foi intenso e cordial. Fidel queria conhecer o pensamento do papa sobre diversos temas”, disse Lombardi, destacando que o ex-ditador, que foi aluno de padres jesuítas, leva “uma existência dedicada à reflexão sobre a cultura e o mundo de hoje”.

“Ele (Castro) perguntou ao papa, em primeiro lugar, sobre as mudanças litúrgicas na celebração da missa, ouvindo de Bento 16 as explicações sobre o sentido dessa renovação”, segundo o padre Lombardi.

TRABALHO DO PAPA

“Depois, Fidel Castro quis saber sobre o trabalho apostólico de um papa, sua missão e tarefa.
“Ao final, indagou sobre as dificuldades vividas pela Igreja nos tempos de hoje”. O papa mencionou a complexidade das religiões em responder aos “desafios” da modernidade.


Disse também que as dificuldades enfrentadas pela humanidade são causadas pela ausência de Deus. E expôs seus temas de reflexão: as relações entre a fé e a razão, entre a liberdade e
a responsabilidade”, acrescentou o porta-voz.

Fidel disse que acompanhou toda a vista pontifical a Cuba pela TV. Os dois puseram em destaque suas idades avançadas (Castro tem 85 anos e o Papa, 84) e Bento 16 disse a Castro: “já estou velho, mas de qualquer forma, ainda posso cumprir com os meus deveres”.

O Vaticano sabia há algum tempo do “grande desejo de Fidel Castro de se encontrar com o papa”, acrescentou o porta-voz.