Deputado gay no Brasil ofende o Papa após o seu primeiro tweet, católicos reagem





BRASILIA, 19 Dez. 12 / 05:03 pm (ACI).- Após o primeiro tweet do Papa Bento XVI no dia 12 de dezembro, o deputado homossexual brasileiro Jean Wyllys publicou em sua conta de twitter várias ofensas ao Santo Padre, referindo-se a ele como “potencial genocida” e “hipócrita”. Diante das acusações de Wyllys, católicos no Brasil reagiram e pediram uma retratação do parlamentar por ter ofendido o líder da religião da maioria da população brasileira e um chefe de estado. 


Esta não foi a primeira vez que o deputado e ativista das causas LGBT no Brasil insulta o Papa e levanta acusações à Igreja. Entretanto, os insultos do deputado não ficaram sem respostas por parte dos cristãos brasileiros.


O blogueiro católico Vanderlúcio Souza escreveu ao deputado que com suas posturas ele “ofendia um Chefe de Estado”.  


“Católicos pedem tolerância e que o deputado pare de semear o ódio”, escreveu Vanderlúcio.


Em resposta, o deputado gay escreve: “No dia em que o papa deixar de “semear ódio” e intolerância nesses casos, eu deixarei de reagir; do contrário, não me calo”, e também publicou:

“E vá ver o sentido de hipócrita para usá-lo corretamente: se há hipócrita, esse é o @pontifex”.


Em outros tweets o deputado afirma ainda sobre o Papa Bento:

“Um líder religioso que foi membro da juventude nazista e ofende os homossexuais e sua luta? Não merece respeito!”.

“Genocida em pontencial* –> “Papa considera o casamento igualitário “uma ferida grave infligida à justiça e à paz”.

(*NdE: erro de português cometido pelo deputado).


O parlamentar brasileiro ainda levanta acusações contra a Igreja católicacriticando sua postura frente aos preservativos, acusando-a de fazer silêncio ante o casos de abusos sexuais por parte de alguns clérigos e de acumular dinheiro.


“É lamentável a postura do deputado Jean Wyllys em semear o ódio ao chamar o líder máximo da Igreja Católica e chefe de estado, Bento XVI, de hipócrita. Ainda mais por meio de uma rede social”, disse a ACI Digital Vanderlúcio Souza.


“Vale dizer que o povo brasileiro, majoritariamente religioso, é uma nação ordeira e que convive harmoniosamente com todos os segmentos e grupos da sociedade. Atitudes como esta do parlamentar apenas incita ao preconceito e à intolerância”, destacou o blogger.


Por outra parte, a Dra. Renata Gusson, conhecida no meio católico e pró-vidapor um vídeo no Youtube no qual ela afirmou a membros da subcomissão permanente da defesa da mulher em Brasília que abortistas não representam as brasileiras, também se manifestou enviando uma cart

a ao deputado Jean Wyllys.


Na sua missiva a Dra. Gusson escreve ao deputado e ativista homossexual brasileiro:


“O senhor, em uma clara mensagem que incita o ódio e a humilhação ao Papa, afirma diversas acusações contra a Igreja Católica. Duas coisas me chamaram a atenção: primeiro, o senhor, como uma pessoa pública e representante do povo brasileiro que o elegeu (este povo, que em último censo realizado pelo IBGE mostrou-se majoritariamente religioso), teve uma postura desrespeitosa e impertinente”.


“Gostaria de lembrá-lo que o Papa é um chefe de Estado. Aos chefes de Estado deve-se o respeito e a consideração, por mais que discordemos de suas posturas éticas, filosóficas ou religiosas. O senhor, neste ponto, considerou-se acima do respeito devido a um chefe de Estado”.


“Em segundo lugar, eu quero pedir-lhe que me envie as fontes “primárias” que comprovem TODAS as acusações que o senhor levantou contra a Igreja Católica”.


“O senhor em seus comentários deveria, por força de justiça, junto com suas acusações à Igreja, dizer quais foram os bens legados e ainda hoje mantidos pela MAIOR INSTITUIÇÃO DE CARIDADE EXISTENTE NA FACE DA TERRA. Se não o fez, prova que a intenção não era a de simplesmente discordar da visão do Santo Padre e da Igreja Católica”, afirmou Renata Gusson, católica, mãe de família e membro do movimento pró-vida em São Paulo.


“Concluo esta mensagem pedindo-lhe que venha a público desculpar-se pelo viés causado por suas mensagens e também pedir-lhe que, em uma próxima vez, lembre-se que com a fé das pessoas não se brinca; se respeita, por mais que dela discordemos”, finalizou a Dra. Gusson.


Para manifestar-se contra as declarações do deputado Jean Wyllys sobre o Santo Padre os usuários podem ligar para o gabinete do parlamentar em Brasília: 

Tel: (61) 3215-5646



O twitter do deputado é: @jeanwyllys_real

Fonte:  http://www.acidigital.com/noticia.php?id=24634

2 respostas para “Deputado gay no Brasil ofende o Papa após o seu primeiro tweet, católicos reagem”

  1. CRESÇA E APAREÇA!
    Esse cara teria mesmo é um grande vontade de projetar-se na mídia ao identificar-se com grupos gays; ninguém como eles tanto apreciam brilhar e se projetar na mídia e aproveitar em beneficio pessoal.
    Ademais, pertence a um partido material-ateísta, de per si arquiinimigo de Jesus-Igreja Católica aos quais tecerem duras calunias e críticas garantem IBOPE e facilitariam acesso a outras pretensões megalomaníacas, seria o mais provável.
    Assemelha-se aos raros casos de denuncias de pedofilia entre sacerdotes em comparação a número bem maior de incidencia de pastores protestantes e homens em geral CASADOS: apenas dos primeiros, por sinal celibatarios, muito repercutem os erros; dos outros, isso é normal, isso acontece…
    Não age nas mesmas modalidades de partidos comunistas como o PT ao se sentir acossado por denuncias, sem condições de provar em contrario: atacar para se defender? Chamar aos cristãos de intolerantes, homofóbicos e preconceituosos, não seria ao contrario, querendo nos exigir, impor de participar do “politicamente correto”, equivalente a “marxisticamente correto”, nos aliarmos a seu partido, à sua ideologia niilista ou à similar do PT?
    Bem diz o Livro dos Provérbios em se referindo aos maus: Pv 24,2: “Suas mentes planejam roubos e seus labios proferem enganos”, incidindo o caso na 2º sentença.
    A carga de pecados que ajunta sobre si para o Juízo Final…

  2. Nâo se poderia esperar nada de diferente, considerando o local no qual esse “político” nasceu: aquele programa de tv fétido, da categoria lodo de esgoto, que é e representa o que pior há na televisão e na sociedade brasileiras, cujo nome nem vou escrever em respeito a mim mesmo, pois há bastante tempo sinto nojo só de pronunciar uma única palavra das que compõem nome daquela imundícia. Esse indivíduo aproveitou seus “cinco minutos” de fama para se enveredar pela política-partidária, e como no Brasil a mediocridade ainda elege (vide o caso de TIRIRICA), terminou alcançando esse cargo, graças à incompetência e imbecilidade de muitos eleitores (Sarney que o diga!). Infelizmente, contudo, ISSO é deputado, tem muito respaldo na parcela da mídia que é inimiga da Igreja, tenta se travestir de cordeiro e usar falsamente o falso discurso da solidariedade e do amor (opa! menos contra a Igreja, claro!). Mas, sinceramente, em meu modesto ponto de vista, é até bom que escroques deste naipe expressem seu ódio livrmente, como este espécime está a fazer, porque assim é mais fácil identificar os sequazes do inferno que andam em nosso meio.
    Se existe algo de bom na “demo” cracia é que o mandato disso é temporário e talvez nao se reeleja, quando então deverá retornar ao status quo ante, ou seja, à posição de insignificância e mediocridade, em meio ao pântano fétido repleto de imundícies de onde saiu. Aliás, a própria vida é temporária, por isso mesmo excrementos assim logo deixam de existir… A Igreja de Cristo, contudo, permanece… e permanecerá para sempre em cumprimento de profecia oriunda do próprio Cristo. Amém.
    Paz e Bem.
    Marlon Roberto.

Os comentários estão desativados.