O CHORO DOS SINOS


Dobrai sinos de Roma,
Dobrai!
Dobrai de tristeza porque um papa sai de vossas muralhas eternas
Para eternizar-se  na história.

Dobrai sinos das montanhas,
Bentos e Anselmos,  dobrai
Porque um bispo vestido de branco
Subindo o Monte
Entrará em vosso claustro,
Empunhando a cruz de Cristo e nela também crucificado.

Dobrai sinos da Igreja,
Dobrai de tristeza numa Esperada Esperança
De que  a Barca,  mesmo em tempestades
Jamais sucumbirá.

É eterna,
Perene,
Indestrutível…

Dobrai sinos de Roma,
Dobrai.

Dobrai sinos de Paulo,
Além dos muros
De João o de Latrão
E de Maria  Maior.

Porque  o anel foi quebrado,
Mas não a promessa
Que sendo também Maior
É inquebrantável,
Indestrutível:
“Tu es Petrus!”
Dobrai sinos do Mundo Inteiro
Dobrai.
Dobrai de tristeza.

Chorai o Pontífice  vivo
Que se faz morto
Por amor
E esperai o alegre momento,
Da chegada do outro
Que sem nome e sem rosto,
–  ainda –
Se aproxima
Do trono  e do altar.

Pe. Marcélo Tenorio

Uma resposta para “O CHORO DOS SINOS”

Os comentários estão desativados.