FRASE ECUMÊNICA DO PAPA FRANCISCO FAZ MUÇULMANO CONVERTIDO ABANDONAR A IGREJA

Magdi Allam, muçulmano convertido, deixa a Igreja Católica por conta do enfraquecimento de sua posição contra o Islam.

Uma grande personalidade muçulmana da Itália, que se converteu ao catolicismo, e foi batizado pelo Papa Bento XVI anunciou na segunda (25 de março)  que irá abandonar a Igreja Católica em protesto por conta da postura enfraquecida da Igreja perante o islamismo.

Egípcio de nascimento, Magdi Cristiano Allam, 61, um proeminente jornalista e um ferrenho crítico do Islam, entrou publicamente na Igreja Católica no dia 22 de março de 2008, durante a Vigília Pascal, recebendo o batismo diretamente do Papa Bento XVI.
Depois de sua conversão, Allam fundou um pequeno partido de direita que perdeu as eleições gerais da Itália em abril do ano passado.

Escrevendo na segunda, no jornal Il Giornale, Allam explicou que ele considera sua conversão ao catolicismo terminada “em sintonia com o fim do pontificado de Bento XVI.”

“A ´papolatria´ que tem inflamado a euforia por Francisco I e tem rapidamente esquecido Bento XVI foi a última palha jogada em todo o quadro de incerteza e dúvida sobre a Igreja”, ele escreveu.

Na sexta, Francisco pregou para “intensificar o diálogo entre as várias religiões”,  particularmente o Islam.

Allam, que tem chamado o islam de “ideologia intrinsicamente violenta”, disse que sua principal razão para abandonar a Igreja foi o ensinamento do “relativismo religioso, em particular a legitimação do islam como uma verdadeira religião”.

“ A Europa terminará sendo subjugada pelo Islam”, ele alertou no Il Giornale, a menos que “encontre a coragem de denunciar a incompatibilidade do Islam com a nossa civilização e os direitos humanos fundamentais”, e “banir o Corão que incita ódio, violência e morte aos não-muçulmanos”. Os europeus também precisam condenar a SHARIA como um crime contra a humandidade” e “parar a difusão das mesquitas”.

Allam disse que permaneceria como um cristão, mas que ele não acreditava mais na Igreja.

A conversão surpresa de Allam foi orquestrada pelo Arcebispo Rino Fisichella, atual presidente da Conselho Pontifical para a Nova Evangelização, que “pessoalmente acompanhou” a aproximação do intelectual muçulmano para a Fé Católica.

Na época, o porta-voz do Vaticano, Rev. Francisco Lombardi, informou que a conversão de Allam foi o resultado de uma “jornada pessoal” e não pretendeia ser uma messagem direta contra os muçulmanos.

O principal intelectual muçulmano envolvido no diálogo interreligioso com o Vaticano, Aref Ali Nayed, criticou a cerimônia pública da conversão como um “modo triunfalista de marcar pontos” e disse que isso levantou “sérias dúvidas” sobre a política da Igreja Católica em relação ao Islam.

Tradução: Antônio Manuel

Cf.

huffingtonpost

5 respostas para “FRASE ECUMÊNICA DO PAPA FRANCISCO FAZ MUÇULMANO CONVERTIDO ABANDONAR A IGREJA”

  1. Reverendo Padre,
    Salve Maria!

    Bem disse Paulo VI que o ecumenismo pós-conciliar provocou o distanciamento e não a esperada união fraterna. É o que aconteceu desde que se colocou o falido e relativista “diálogo” no lugar do sincero e caridoso “Ide e ensinai” de Nosso Senhor.

    Pelos frutos se conhece a árvore!

    In Corde Jesus, semper
    Eder Silva

  2. DORAVANTE FILIAR-SE-IA AOS XIITAS E TALIBÃS?
    Ele teria entrado para o cristianismo, mas ele não o teria adentrado, de longe apenas o compreendeu e como diz a bíblia: 1 Jo 2, 19: … Se tivessem sido dos nossos teriam permanecido conosco.
    Se achou a Igreja fraca, esqueceu-se de quem é a Igreja: o proprio Cristo, Cl 1,18: 1, 24 etc. e a validaria por eventuais fragilidades ou não de seus membros, situação muito diversa; possuiria apenas superficialista concepção do cristianismo.
    A não ser que acaso fosse algum infiltrado para espionar a Igreja e se desculparia sob tal pretexto…
    Fique com Maomé; ele lhe garantirá sua alma!

  3. Pois é, Elton… Mas, da forma que o Magdi Cristiano fala, nem ao Maomé ele voltou. Pelo visto, tornou-se “cristão independente” (nome que os protestantes costumam dar a quem “não adere” a nenhuma de suas seitas).

    Tenho mais pena dele, quase não me dá raiva dele. Mas, responda-me: o que era de se esperar de alguém que foi convertido por um Bispo contrário aos pró-vida (a saber. D. Fisichella)???

    Rezemos para que o Cristiano se arrependa e volte a nós. É de gente “sem papas na língua” como ele de que a Igreja precisa, no que pesem seus outros defeitos…

    Marcel.

  4. Sera o Papa Francisco amante do Vaticano II ? Não estaremos nós já livres disso? Espero a encíclica que em breve me parece que irá escrever junto com Bento XVI.!

Os comentários estão desativados.