Após parodiar 'Show das Poderosas', padre pede perdão

foto
A performance de um padre durante o culto religioso de formatura de uma turma de direito no Recife, em janeiro, fazendo uma paródia do “Show das Poderosas”, da cantora Anitta, ganhou as redes sociais (VEJA VÍDEO ABAIXO). Porém, a exposição e as críticas surpreenderam o padre Hewerton Alves e, nesta quinta-feira (23), ele foi à sede da Arquidiocese de Olinda e Recife. Após uma conversa com o arcebispo Dom Fernando Saburido, divulgou uma nota pedindo desculpas.
A versão vista pelo G1 foi publicada no dia 17 de janeiro e, até o fim da manhã desta quinta (23), tinha sido visualizado por, aproximadamente, 10 mil pessoas. “Creio que de fato, não fui feliz em cantá-la em um culto de formatura. Mas a intenção sempre de minha parte foi de trazer os jovens mais perto da Igreja. A intenção não foi jamais de afrontar ou escandalizar pessoa alguma”, explica a nota.
Padre Hewerton lembra ainda que a música já havia sido apresentada anteriormente, durante a Jornada Mundial da Juventude, que aconteceu no Rio de Janeiro, em 2013, e contou com a presença do Papa Francisco. Na ocasião, a versão ganhou o título de “Show da JMJ”, o que teria servido como inspiração.
Nos comentários do vídeo, há mensagens de repúdio, inclusive de pessoas que se dizem católicas e o acusam de querer se promover, mas há também outros que apoiam e veem a versão como uma forma de aproximar-se da juventude, que é a justificativa do padre para a apresentação. “Aos que ofendi peço-lhes perdão e reitero o meu propósito de seguir sempre fiel a minha Igreja e à missão que o Senhor me confiou”, diz a nota.
A Arquidiocese de Olinda e Recife preferiu não se manifestar sobre a conversa que aconteceu entre o arcebispo e o padre, que durou aproximadamente meia hora.

4 respostas para “Após parodiar 'Show das Poderosas', padre pede perdão”

  1. AGIU BEM MELHOR QUE CONTUMAZ ULTRA RELATIVISTA, FILHOTE DE LUTERO, FABIO DE MELO!
    O mal e o escândalo de sua apresentação inicial estilo roqueiro algo sensual e muito satanista já estão feitos e os pedidos de desculpas ou perdão têm o seu valor, mas o problema estaria no maléfico proporcionado àqueles que eventualmente não tenham a oportunidade de conhecer sua retração, e acaso se inspirarem naquele sacerdote se comportou indevidamente, ajuntando-o a mais outros similares, dos que desmerecem a doutrina da Igreja, o sacerdócio, os colegas ministeriais, assim colaborando na relativização ainda mais da atual permissivista sociedade.
    Se for sincero, tomara, penitencie-se de fato; ideal seria noutras oportunidades voltar a fazê-lo; de qualquer forma, está bem; que seja menos um no sacerdócio a encaminhar pessoas a irem na direção de Sodoma e Gomorra.

  2. Ao menos de público fez o contrário de um tal Beto, já desligado da Diocese de Bauru por ter insistido num orgulho “acadêmico”…

    Não conheço melhor o Pe. Hewerton, pelo que não tenho muito a acrescentar, e sim a rezar por ele. Fato é que muitos padres no tempo de seminaristas receberam péssima formação, isso quando ainda leigos não lhes ocorreu de terem uma catequese familiar e paroquial deficiente. De ver um sacerdote que incorreu em erro se retratar, é nosso papel ajudá-lo a se erguer e não voltar ao mesmo (ou pior) abismo.

    No mais, até essa paródia ridícula do “show das poderosas” não foi invenção do Pe. Hewerton, mas da galerinha da JMJ…

Os comentários estão desativados.