A FSSPX reconhecida oficialmente na Argentina como parte da Igreja Católica.

IMG_0183

Por Adelante la Fe | Tradução: Irmandade dos Defensores da Sagrada Cruz: Em Boletim Oficial da Republica Argentina encontramos a seguinte informação: A pedido do Arcebispo de Buenos Aires, Cardeal Poli, é concedido a Fraternidade Sacerdotal São Pio X, FSSPX, fundada pelo Arcebispo Marcel Lefebvre, o estatuto de “Associação de Direito Diocesano. Sociedade de Vida Apostólica” e se reconhece “que a dita fraternidade, encontra-se credenciada com caráter de pessoa jurídica pública DENTRO DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA, conforme a norma do Código de Direito Canônico”.

Com toda a prudência por não ter maiores informações para avaliar com precisão o alcance exato desta noticia, além das formalidades jurídicas, não se parece temerário para interpretar este importante gesto do Cardeal Poli como um grande movimento de aproximação, talvez a ponta do iceberg, que nos permite esperar com otimismo um desenlace feliz a curto prazo a nível global.

Reproduzimos a resolução oficial:

Resolução 25/2015

Bs. As., 17/03/2015

VISTO o Arquivo No. 9028/2015 do registro do MINISTÉRIO DE RELAÇÕES EXTERIORES E CULTO, a Lei nº 24.483 e seu Decreto Regulamentar n.º 491 de 21 de setembro de 1995, e CONSIDERANDO:

Que, conforme o Protocolo nº 084/15 datado de 23 de fevereiro de 2015, o Arcebispo de Buenos Aires, Mario Aurelio Cardeal POLI solicita que a “FRATERNIDADE DOS APÓSTOLOS DE JESUS E DE MARIA” (Fraternidade Sacerdotal São Pio X) seja tida, até encontrar um definitivo enquadramento jurídico na Igreja Universal, como uma associação de direito diocesano, conforme regulamentado pelo cânone 298 do Código de Direito Canônico, in fieri de ser uma Sociedade de Vida Apostólica, com todos os benefícios que esta lhe corresponde e dando cumprimento com todas as obrigações a que a mesma refere, assumindo também as responsabilidades que competem ao bispo diocesano.

Que tal fraternidade é credenciada com caráter de pessoa jurídica pública dentro da IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA, conforme as normas do Código de Direito Canônico.

Que segundo seus estatutos, aprovados pela autoridade eclesiástica competente, a fraternidade é uma sociedade de vida sacerdotal comum sem votos, em imitação de sociedades para as Missões Estrangeiras (conf. Capítulo I, artigo 1º, Estatutos da Fraternidade dos Apóstolos Jesus e Maria).

Que o artigo 3º, inciso f do Decreto nº 491/95 que autoriza a inscrição no Registro criado pela Lei nº 24.483, as pessoas jurídicas reconhecidas pela autoridade eclesiástica, que guardam semelhanças ou analogia com os Institutos de Vida Consagrada e sociedades de vida apostólica.

Que a instituição requerente cumpriu todas as exigências da legislação em vigor, que acompanhando os seus estatutos, decreto de ereção e memória, de acordo com as disposições da Lei nº 24.483.

Correspondendo fazer lugar a presente inscrição todas as vezes que a requerente se enquadra nas condições previstas na Regra 3, inciso f) do Decreto nº 491/95.

Que a presente medida é emitida no exercício dos poderes conferidos pelo artigo 17 do Decreto nº 491/95.

Portanto,

O SECRETÁRIO

DE CULTO

RESOLVE:

ARTIGO 1 – reconhecido como uma pessoa jurídica a “FRATERNIDADE DOS APÓSTOLOS DE JESUS E DE MARIA” (Fraternidade sacerdotal São Pio X), Associação de direito diocesano, com sede legal e domicílio especial na rua Venezuela N° 1318, CIDADE AUTÔNOMA DE BUENOS AIRES, que está registrado sob o número de trezentos e oitenta e um (381) do Registro de Institutos de Vida Consagrada.

ARTIGO 2º – outorga-se a dita entidade o caráter de entidade de bom público para todos os efeitos, que correspondam.

ARTIGO 3º – Que seja sabido que a referida pessoa jurídica se encontra beneficiada pelo tratamento previsto pelo artigo 20, da Lei do Imposto de Renda (texto encomendado em 1997).

ARTIGO 4º – Comunique-se, publique-se, transmitindo a Direção Nacional de Registro Oficial e arquive-se. – Emb. GUILLERMO R. OLIVERI, Secretário de Adoração.

[Você pode verificar esta informação, entrando no site do Boletim Oficial Argentino indicando em seu navegador a resolução 25 de 2015]

* * *

Nota do Fratres: Procurado por Vatican Insider, Dom Guido Pozzo, secretário da Pontifícia Comissão Ecclesia Dei, declarou: “Fico contente que na Argentina foi possível encontrar esta solução que, sejamos precisamos, não envolve a Santa Sé. Não se trata de um reconhecimento jurídico da Fraternidade São Pio X como sociedade clerical, permanecendo em aberto a questão da legitimidade do exercício do ministério sacerdotal de seus padres. Mas, certamente, é um sinal adicional de benevolência em relação a esta realidade por parte da Igreja Católica”.

Continua Pozzo: “Com sua decisão, o ordinário de Buenos Aires reconhece que os membros da Fraternidade são católicos, mesmo que ainda não estejam na plena comunhão com Roma. Nós continuamos a trabalhar para que se chegue à plena comunhão e ao enquadramento jurídico da Fraternidade na Igreja Católica”.

Crédito: Bonum Certamen

Dom Maurice Piat: “A FSSPX não está em comunhão com a Igreja Católica”

eveque-2

Por Dom Maurice Piat, Bispo de Port-Louis

Tradução: Bonum Certamen

O Padre Duvergé, Superior da Fraternidade São Pio X para o Distrito da África e do Oceano Índico, fez-nos chegar uma circular anunciando que a FSSPX visa a construir uma igreja para celebrar nela o que eles chamam de “a Missa Católica Romana Tradicional”. A FSSPX está procurando um terreno para isso e já está solicitando doações.

Em sua circular, o Padre Duvergé apresenta o objetivo do projeto como sendo o de “preservar a fé católica romana nas Ilhas Maurício”. Ao mesmo tempo, ele acusa a Igreja Católica de ter deformado a doutrina, a liturgia, os sacramentos e o ensinamento moral da Igreja.

Chamo a atenção dos fiéis para o fato de que a FSSPX não está em comunhão com a Igreja Católica. As tratativas iniciadas pelo Papa Bento XVI em 2011-2012 visando a restabelecer a comunhão fracassaram.

Por isso, eu gostaria de alertar os fiéis católicos contra a confusão que é feita pela FSSPX: ela se nomeia “Traditional Roman Catholic Church”, quando, de fato, ela não está em comunhão com a Igreja Católica Romana.

+ Maurice Piat

Bispo de Port-Louis

Original em francês:

Le Père Duvergé, Supérieur de la Fraternité Saint Pie X pour le District de l’Afrique et de l’Océan Indien, nous a fait parvenir une circulaire annonçant que la Fraternité Saint Pie X compte construire une église pour y célébrer ce qu’ils appellent « la Messe Catholique Romaine Traditionnelle».  La Fraternité Saint Pie X cherche à se procurer un terrain et fait déjà un appel de fonds.

Dans sa circulaire, le Père Duvergé présente le but du projet comme étant de « préserver la foi catholique romaine à l’Ile Maurice ». Dans le même souffle, il accuse l’Eglise Catholique d’avoir déformé la doctrine, la liturgie, les sacrements et l’enseignement moral de l’Eglise.

J’attire l’attention des fidèles sur le fait que la Fraternité Saint Pie X n’est pas en communion avec l’Eglise Catholique. Les pourparlers initiés par le Pape Benoît XVI en 2011-2012, en vu de rétablir la communion ont échoué.

Je tiens donc à mettre en garde les fidèles catholiques contre la confusion qui est entretenue par la Fraternité Saint Pie X : elle se nomme « Traditional Roman Catholic Church » alors qu’en fait elle n’est pas en communion avec l’Eglise Catholique Romaine.

+Maurice E. Piat

Evêque de Port-Louis

Fonte: http://www.dioceseportlouis.org/2015/04/23/mgr-maurice-e-piat-la-fraternite-saint-pie-x-nest-pas-en-communion-avec-leglise-catholique/

Créditos: Bonum Certamen

Cardeal enaltece Francisco e desvaloriza Bento XVI

Palavras de D. João Braz de Avis , cardeal Prefeito para os Religiosos à Revista VEJA. Lamentável.

Rezemos pela Igreja em seu ocaso:

 

braz

 

 

SOBRE AS REFORMAS DE FRANCISCO

“Existe, no entanto, uma reforma muito mais profunda já em curso. Trata-se de uma mudança de base — simples e complexa ao mesmo tempo. A de fazer com que a Igreja seja mais fraterna, que se abra para valores autênticos — amor, justiça e paz. Nós, católicos, fomos sempre muito fechados. Convivemos por séculos com a ideia de que é preciso converter as pessoas para trazê-las para perto. Não podemos agir como se fôssemos donos da moral”.

 

A PASTORALIDADE ACIMA DA DOUTRINA

Há duas maneiras de ler o Evangelho. Uma, de forma puramente doutrinal, racional. A outra é ver a mensagem de Jesus nas palavras do Evangelho. A mensagem de amor e de acolhimento de Jesus […] O Papa se justifica para essas pessoas. Pessoas que veem o Evangelho de forma restrita, puramente doutrinal. São os tradicionalitas da Igreja. Aos eclesiásticos e aos fiéis não tradicionalistas, ele certamente não precisa se explicar”.

UMA CRISE  “RATZINGERIANA”

“Digamos que eu passei por uma crise pessoal muito grande. Em 2012, o então secretário da congregação que eu coordeno, o arcebispo Joseph Tobin, foi destituído por Bento XVI sob acusação de ter tomado o partido das freiras americanas responsabilizadas por desvios de disciplina e doutrina. A acusação era injusta. Posso dizer isso porque ele era meu braço-direito. Eu sempre achei que fazer a vontade de Deus por meio do caminho da Igreja é essencial. Mas, no momento em que passo a pensar que a vontade de Deus pode ser mentirosa, como eu fico? Simplesmente, calei-me diante daquela injustiça”.

ELOGIO A FRANCISCO

“Vejo o Papa Francisco pelo menos a cada duas semanas […] Quanto a Bento XVI, na última vez que pedi para falar com ele, o encontro foi marcado para dali a quatro meses. Ele é extremamente tímido, e essa timidez causou uma dificuldade de comunicação muito grande”.

 

Francisco lava os pés de transexual

 

Caríssimos

Salve Maria!

Aqui está o vídeo. Na cerimônia de Lava-pés, na Missa In Coena Domini, Francisco lava os pés de um transexual que logo depois recebe a Santa Comunhão.

É claro que não sabemos, com certeza, da ciência do papa sobre tudo. Todavia, na ordem das coisas, tratando-se de uma cerimônia que é preparada com antecedência,  e é impossível falar de desconhecimento dos Cerimoniários, da Casa Pontifícia e mesmo do próprio Papa, visto que tratando-se de Bergoglio, é  também impossível deixa-lo à margem das coisas…

Esperemos os esclarecimentos…Mas caso não venham, contentemo-nos com o ” Quem sou eu para julgar?!”….

Rezemos pela Igreja em seu ocaso.