SOBRE A FEIA SEMPRE-VIVA E AS BELAS ROSAS NUMA NOITE DE MAIO

577811_3107987134319_1244461095_n

 

Pe. Marcélo Tenorio

Hoje é um grande dia!
É o dia em que, do alto de nossos altares será solenemente coroada a Virgem Maria! É o dia da Coroação!
Sou de uma região que, pelos arredores dos povoados, sítios e fazendas, no início do mês de maio se colocava num mastro improvisado de bamboo ou qualquer outra madeira, um bandeirinha branca, simples, mas indicadora..Mostrava que alí se celebrava o Mês de Maio!
Ah, o Mês de maio da minha vida! Como era belo para nós! Na velha catedral, a  imagem da Conceição, sem o véu sobre a cabeça ( nunca mais vi  uma imagem da Virgem sem o véu, como aquela!…), com olhos vivos, parecendo de verdade ,a olhar para o alto e suas belíssimas mãos sobre o peito, como que cantando o Magnificat!
Ah, o Mês de  Maio da minha infância já tão distante!.
A catedral cheia, todas as noites!
O povo de todas as classes, mas especialmente os simples, com flores na mão:” É para a Santa!”, diziam todos, que com lágrimas nos olhos – de amor e gratidão – subiam ao altar para depositar aos  pés de Nossa Senhora as suas vidas, nas flores colhidas em maio.
” Dai-nos, ó liçen-ça, Senho-ra,
Para ofer-ta vos fa-zer
Estas flo-res que em Maio
Co-lhe-mos pra Vos Tra-zer”
A coroa era trazida nas mãos da coroante: Coroa em ouro branco, tendo no centro o mundo e sobre o mundo a pomba do Espírito Santo. Entre o entusiasmo dos devotos e os sinos da velha catedral, era Coroada Nossa Senhora!
” Aceitai esta coroa,
Virgem Santa ,Mãe Querida,
Que nos sejas, Ó a Rainha,
De um penhor de eterna Vida!”
Hoje é 31 de Maio, dia da Coroação.
Lembro bem que neste  dia, lá em casa, diante de um velho e bicentenário oratório, eu, muito pequeno, arrumava o altar de Nossa Senhora. Era uma também pequena imagem de Nossa Senhora das Graças, a minha predileta….Arrumava, eu o santuário; escondia, com uma cortinazinha os demais santos, pois entendia que a festa era somente de Maria e , sendo assim, só ela deveria aparecer.
Minha mãe comprava para mim algumas flores, as mais baratas ( geralmente sempre-vivas), pois naquela época não se dispunha de dinheiro para comprar rosas somente, como era o desejo dela. Arrumado tudo, esperava à noite e, enquanto na Catedral, que era quase ao lado da nossa casa, acontecia a solenidade da coroação, eu fazia a minha….após a reza o terço, acompanhado por tia Nesta, bem lúcida, apesar de mais de 100 anos de vida.
Certa vez estava eu a arrumar o oratório, num 31 de maio e chegou em nossa casa o sacristão. Era comum  ir sempre por lá, tomar um cafezinho. Ele me olhou e disse à minha mãe: ” É uma pena..quando ele crescer, esquecerá!” – Enganou-se o sacristão!
A vida passou.
A criança cresceu…e, embora os pecados aumentaram, em nada diminuiu o meu amor por Aquela que na minha vida tudo fez.
Hoje não tenho mais o oratório, deram-me uma Matriz….
Não tenho mais a pequena imagem da Graça, deram-me uma Graça enorme…E não me faltam rosas das mais variadas espécies para a festa.
Olho para traz…
Na velha catedral os sinos não mais tocam….
O sacristão lá não mais está.
Todas as mãos que coroaram a bela imagem já se encontram na eternidade.
Somente ela – a imagem- continua lá; deformada por uma pintura de mal gosto, mas continua lá:
 Os mesmos olhos. As mesmas mãos sobre o peito, num Magnificat sem ocaso.
Não sei onde encontrar hoje as ‘ sempre-vivas”..Prefiro essas flores do que as rosas mais caras do mundo. As sempre- vivas são resistentes. Demoram. Persistem, mesmo sem água, por um bom tempo.
É verdade que não são tão belas que as rosas, mas que importa?
As sempre-vivas parecem-se mais comigo, até na feiúra.
Até no “espinhento” de seu dorso.
Nesta noite de tua coroação, Ó Mãe querida, do esplendor onde tu te encontrarás, da altura de teu majestoso vulto, não te espantes, nem te ofendas se os teus olhos sagrados, contemplando as belas rosas colocadas em teus pés, depararem-se, num canto qualquer, com um pouco de sempre-vivas sem perfume algum; elas são a minha oferta, a pobre oferta da minha alma, que apesar do seu pecado, exulta e grita o teu Nome Dulcíssimo, ó Soberana Rainha, minha única esperança.
( Este artigo já foi publicado anos atrás)

Uma Tiara de presente para Francisco ( O retorno de uma profecia?)

13177112_1254207334606735_3103282768720541007_n

Pe. Marcélo Tenorio

A tiara papal não é simplesmente um adorno nem tão pouco uma ostentação de poder, de império e de domínio político. Seu significado é bem mais profundo e grave, de forma que, hoje em dia, um papa já não pode usá-la sem causar grande impacto. Se existe um símbolo eclesiástico temido e rejeitado é, justamente, a tiara papal: os inimigos entendem muito bem o que ela evoca.

Café Teológico – 04: Um Seminarista medroso escreve

1939847_494341667340871_1549335524_n
No  “Café Teológico”, desta semana, coloco aqui a resposta dada a um seminarista medroso que escreveu ao prof. Orlando Fedeli. A resposta do velho professor provoca no seminarista uma profunda e corajosa mudança de atitude. Mais que isso: uma conversão.
Leia logo abaixo.
Pe. Marcélo Tenorio
____________
Salve Maria.
Atendi o seu pedido de não publicar a sua carta com o seu nome. Mas lamento que me tenha pedido isso. Agora, você tem medo que saibam de seu posicionamento católico a favor da Missa tridentina, porque poderão não recebê-lo num antro modernista, como normalmente são, hoje, os seminários no Brasil.
    Quando você estiver num seminário, intoxicado de heresias, você esconderá seu posicionamento católico, por medo de ser expulso do seminário, porque você dirá que para poder ser padre, e padre bom, terá que esconder que prefere a Missa de sempre. Por isso, se calará, nada dizendo contra a Missa Nova, e nada dizendo a favor da Missa de sempre, senão não lhe permitirão ser ordenado. E você adiará sua confissão de fé — traindo a Fé — para poder ser ordenado padre… covarde.
    São omissões desse tipo que preparam as grandes traições e os silêncios cúmplices. Se os mártires tivessem sido como você é, hoje, jamais teriam morrido na arena. Eles só teriam a “glória” de ter passado muitos anos de vida… de boca fechada.
    Que “gloria”!
    Que vergonha!
    Veja o que você me escreveu sem ficar ruborizado:
Aqui a maioria dos padres é modernista e nem um usa batina, um padre chegou a falar que se mandarem ele celebrar a missa em latim ele manda a pessoa reclamar com o Vaticano, outro falou que existe salvação fora da Igreja Católica, mas quando foi esplicar caiu em contradição. Não conseguiu argumentar de forma coerente. Como ele é da equipe de seleção dos candidatos a seminarista, fiquei de boca fechada“.
    Como você é valente! Conseguiu ficar de boca fechada!
    Vergonha!
    Você é bem pior que esse padre modernista. Ele pelo menos, disse o que pensava.
    Você… Você ficou de “boca fechada” !
    Vergonha!
    Quando você for ordenado sacerdote, tendo praticado a vida inteira uma política de disfarce, de silêncios covardes, e de traições silenciosas, você continuará a pedir que não se publique o que pensa e calará o que você crê, porque o Bispo poderá puni-lo, e mandá-lo a ser pároco no Alto do Goloso do Grogotó dos Pimentas.
    E quando você, por acaso, por desgraça, for Bispo, — porque sendo assim “prudente” você tem grande chance de ser Bispo — você se calará, porque terá medo do que dirão de você na CNBB. E depois terá medo dos padres progressistas que o criticarão, e você terá esperança de vir a ser Cardeal…
    Para se calar, quando for Cardeal, para ver se, ficando de “boca fechada”, será eleito Papa. E se ficar Papa, será um Papa omisso, porque aprendeu, desde jovem, a ser cobra. E não como Cristo, que jamais temeu dizer a verdade em face dos inimigos de Deus.
     Com esse medo, tenho certeza de sua vocação para ser
um sacerdote… covarde, segundo os moldes dos atuais padres conservadores: todo padre conservador é um medroso omisso, que procura ocultar — “prudentemente” — o que pensa, e só busca compactuar com erros …”moderada” e silenciosamente… Padre conservador é aquele que fará depois de amanhã os sacrilégios que os padres mais radicais fizeram anteontem… Em nome da prudência e da moderação…
    Padre conservador é o que fica de “boca fechada” diante dos hereges, e, se algum dia for forçado a falar, fará um sem número de distinções para desculpar o mal, e camuflará a heresia que outros proclamam ousadamente, com mil distinções e ambigüidades. Foi assim que o Vaticano II foi gestado e aprovado pela maioria que aprendeu a ficar de “boca fechada” desde a juventude.
Prudentemente…
Em nome da moderação…
    Nos seminários. E até antes de entrar nos seminários…
    Que vergonha!
    Seja homem, rapaz, e tenha a coragem de proclamar bem alto o que você Crê.
    Seja católico de verdade e publicamente.
    Lembre-se do que Nosso Senhor disse na sétima carta do Apocalipse aos católicos da Igreja de Laodicéia:Antes foras frio ou quente, e não morno. Mas porque és morno, nem frio e nem quente, começarei a te vomitar de minha boca

Antes foras sinceramente, quente ou frio, negro ou branco, bom ou mau, mas jamais camuflado… Indefinido. Omisso. Cinzento. Disfarçado…
    Você quer aprender a dizer a Missa de sempre…
    Escondido?
    Em público, você dirá a missa nova, e irá dançar as musiquinhas do Padre Zezinho e do Padre Marcelo Rossi, para estar bem com a maioria. Para uivar como os lobos … Para sibilar como as cobras.
    Vergonha!
    Antes de comprar um Missal para aprender a dizer Missa de sempre, aprenda a ser homem. Aprenda a ser valente. Aprenda a ser leão.
    Tão acostumado você está a ser covarde, e a esconder o que pensa, que, no seu e mail — que deseja que permaneça secreto –, você confessa, sem nenhum pudor, sem perceber o horror do que diz, sem perceber o horror de como você mesmo se pinta: como covarde assumido, pois você me diz:
No orkut tenho 2 perfis. em um deles falo poco. No outro, que não boto meu nome verdadeiro, posso falar o que realmente acredito sem me preocupar com represálias de quem quer que seja“.
Então, você só fala o que pensa quando “não bota seu nome verdadeiro“.
    Então você tem “dois perfis”… Você me confessa que tem duas caras. Duas palavras…
    Que vergonha!
    E você conclui com uma promessa de valentia:“Mas quando me tornar padre aí vou poder falar a vontade. Vou sair das catacumbas pra luz do dia!”.

Esse dia nunca lhe chegará. A menos que você mude radicalmente. A menos que se converta. E é o que eu viso com esta carta, chamando-o a ter brio.
    Que ilusão você acalenta!
Quem se calou a vida toda, quando não tinha responsabilidade maior a não ser a de ser francamente católico, ficará de “boca fechada“, quando tiver qualquer responsabilidade sobre os ombros.
    Sabe de uma coisa? Tomara que você jamais fique sacerdote. Porque de padres covardes — silenciosos traidores da verdade–, já temos muitos.
Até demais.
    Antes foras frio ou quente…
    Antes de querer ser padre, queira ser homem.
    E valente.
    A força dos hereges vem da covardia dos padres silenciosos.
    Que Nossa Senhora tenha pena de você e o converta.
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli
Fonte: http://www.montfort.org.br/repreensao-dura-e-caridosa-produz-arrependimento/

Pérez Esquivel levou a Dilma o apoio do Papa, segundo jornal argentino

js0rxt

“O Papa Francisco está muito preocupado com o que está acontecendo no Brasil, tudo isto irá trazer consequências negativas para toda a região, teremos um grave retrocesso democrático”. O Prêmio Nobel da Paz, Adolfo Pérez Esquivel (na foto, à esquerda de Dilma), conversou com este jornal, após sua audiência com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto.

SÃO PIO X: “RESPONDO PONTO POR PONTO”

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaai

[Original italiano: < http://www.sisinono.org/j3/anteprime-2012/52-anno-2014/236-anno-xxxx-n%C2%B020.html >]

Em 14 de outubro de 1911, São Pio X escreveu carta intitulada “Respondo ponto por ponto” [em italiano: “Rispondo punto per punto”, n.d.t.] ao Bispo de Cremona, Dom Geremia Bonomelli [1]. Na passagem dos 80 anos de idade do Bispo, este enviara ao Papa, junto com carta, recente opúsculo [2] sobre três senadores italianos, a saber, Thaon di Revel, Tancredi Canonico e Antonio Fogazzaro, este já condenado por modernismo pelo próprio São Pio X.