Diocese publica um “Solene” decreto sobre culto à Virgem Maria

Caríssimos,

Salve Maria!

Fazia tempo, muito tempo, desde quando aboliram, quase que completamente, as ” Cartas Pastorais” que eu não lia um Decreto Diocesano tão Solene. Esta solenidade de reveste de uma linguagem que a priori parece  de um Documento lá das épocas de Pio IX. Mas se a linguagem é antiga, a teologia é bem nova e se baseia no Capítulo VIII ,da Lumen Gentium… Um Decreto tão solene para algo tão simples?  Não se combate a religiosidade tradicional do povo por decreto,  isso não funciona, a não ser, talvez, nas terras de Hugo Chaves….. Bastaria o pároco, que é cura das almas,promover as consagrações com uma boa formação anterior, mas sem trair  a doutrina do Tratado da Verdadeira Devoção, caindo na desgraça dos ” devotos escrupulosos”.

O Decreto ainda ameaça com “punição canônica” quem contraria-lo. Cruz-credo! Mas, não estamos em tempos de Misericordias?  As palavras do Papa Francisco não são de acolhimento e de se fugir de Condenações Punitivas?…

Acredito que esse documento diocesano é fruto de um grande zelo. E se há zelo nesse assunto, deve haver também noutros, tais como: sagrada liturgia, disciplina dos sacramentos, formação no seminário, etc…

No fim das contas, ficamos com nossos Decretos datados e carimbados, e o povo vai adiante, do mesmo jeito, com suas devoções …. o povo é fogo!

Lembro-me bem de um “causo mineiro” de um padre jovem que quis  retirar a velha imagem de Nossa Senhora do Carmo do altar, podo-lhe outra mais nova e bonita. O povo calou-se. Nada disse. E, chegada a festa da padroeira, pensando que os fieis tinham aceitado, quando a Imagem Nova descia as escadarias , no andor, para a procissão,  ao grito do padre ” Viva Nossa Senhora!”, o povo inteiro respondeu: ” A Velha!”

Pe. Marcélo Tenório

ESCRAVO da Santíssima Virgem Maria.

diocese-de-uruacu-1

DOM MESSIAS DOS REIS SILVEIRA

Por mercê de Deus e da Sé Apostólica
Bispo de Uruaçu-GO

DECRETO
VERUM ET AUTHENTICUM CULTUM BEATAM MARIAM SEMPER
VIRGINEM

Sobre o verdadeiro culto a Bem-aventurada sempre Virgem Maria

Aos que este nosso Decreto virem, saudação, paz e bênção em nosso Senhor Jesus Cristo.

Considerando que Maria exaltada por graça do Senhor e colocada, logo a seguir a seu Filho, acima de todos os anjos e homens, Maria que, como mãe santíssima de Deus, tomou parte nos mistérios de Cristo, é com razão venerada pela Igreja com culto especial (LG n.66)

Considerando o Cân. 1186 que diz que a Igreja recomenda à veneração especial e filial dos fiéis a Bem-aventuradas sempre Virgem Maria, Mãe de Deus, a quem Cristo constituiu Mãe de todos os homens, bem como promove o verdadeiro e autêntico culto dos outros Santos, por cujo exemplo os fiéis se edificam e pela intercessão dos quais são sustentados;

Considerando que a doutrina católica, recomenda a todos os filhos da Igreja que fomentem generosamente o culto da Santíssima Virgem, sobretudo o culto litúrgico, que tenham em grande estima as práticas e exercícios de piedade para com Ela, aprovados no decorrer dos séculos pelo magistério, e que mantenham fielmente tudo aquilo que no passado foi decretado acerca do culto das imagens de Cristo, da Virgem e dos santos. (Cone. Niceno II, em 787: Mansi 13, 378-379: Denz. 302 (600-601) ; Cone. Trident., sess. 25: Mansi 33, 171-172).

Tendo em vista que a verdadeira devoção não consiste numa emoção estéril e passageira, mas nasce da fé, que nos faz reconhecer a grandeza da Mãe de Deus e nos incita a amar filialmente a nossa mãe e a imitar as suas virtudes. (LG 67)

Considerando o Cân. 392 § 2 que diz que o Bispo deve vigiar para que não se introduzam abusos na disciplina eclesiástica, principalmente no culto de Deus e dos Santos;
Havemos por bem decretar, como de fato decretamos, que o Culto a Maria na Diocese de Uruaçu: Deve seguir o que a Tradição da Igreja ensina sobre o Culto a Maria;Para evitar quaisquer manifestações cultuais contrárias à reta praxe católica no que se refere ao Culto a Maria;

Deve evitar qualquer tipo de Consagração a Nossa Senhora que fomente manifestações contrárias à reta praxe cristã;

Que os Sacerdotes devem impedir a ereção de grupos sectários que usam sinais como: véus, correntes (no sentido estrito do termo), e outros tipos de manifestações próprias, que ao invés de promover a verdadeira Devoção a Nossa Senhora, cria-se uma devoção obscura que mais confunde do que promove piíssima devoção;

Que os Sacerdotes estejam atentos, principalmente, aos fiéis que cultivam a Consagração a Nossa Senhora sob a espiritualidade de São Luís Maria Grignion de Montfort – a qual propõe aos cristãos a consagração a Cristo pelas mãos de Maria, como meio eficaz para viverem fielmente os compromissos batismais – para que estes não desvirtuem esta bela devoção ou a resumam numa emoção estéril e passageira que não expressa a realidade e profundidade de tal espiritualidade;

Que qualquer manifestação de espiritualidades advinda de outras realidades e/ou pessoas que queiram promover estas, devem ser submetidas ao conhecimento do Pároco, o qual, encaminhará ao Bispo Diocesano que aprovará ou não sua praxe no território da Diocese;

Que o termo Escravo de Nossa Senhora não seja empregado, tendo em vista que não vos chamo escravos (õovilovç), porque o escravo (5ov2oç), não sabe o que faz seu senhor; mas Eu vos chamo de amigos”, (Jo 15,15); nem vos tenho como escravo (cSov2ov), mas muito mais do que um escravo ((ovilov), como irmão querido” (Flm 15-16).

Recordamos aos Sacerdotes e fiéis leigos o que determina o cân. 1371, 2°: Seja punido com justa pena: quem […] não obedecer à Sé Apostólica, ao Ordinário ou ao Superior quando legitimamente mandam ou proíbem alguma coisa, e, depois de avisado, persistir na desobediência (Redação dada pela Carta Apostólica sob a forma de Motu Próprio “Ad Tuendam Fidem” de 18 de maio de 1998).

Exortamos todos os filhos da Igreja a renovar pessoalmente a sua própria consagração a Nossa Senhora, e a viver este nobilíssimo ato de culto com uma vida cada vez mais conforme à Vontade Divina, e em espírito de serviço filial e de devota imitação da sua celeste Mãe.

Exprimimos, por fim, a confiança de que o clero e o povo cristão confiados ao nosso ministério pastoral corresponderão generosamente a esta nossa Exortação, demonstrando para com a Virgem Mãe de Deus uma piedade mais ardente e uma confiança mais firme. Enquanto nos conforta a certeza de que a excelsa Rainha do Céu e nossa Mãe dulcíssima não deixará de assistir todos e cada um dos seus filhos e não retirará de toda a Igreja de Cristo o seu celeste patrocínio.

Dado e passado em nossa Cúria Diocesana, aos 21 dias do mês de dezembro de dois mil e dezesseis, memória de São Pedro Canísio.

Fonte: http://diocesedeuruacu.com.br/dom-messias-publica-decreto-sobre-culto-virgem-maria.html#

6 respostas para “Diocese publica um “Solene” decreto sobre culto à Virgem Maria”

  1. Eu sou uma Escrava de Jesus pelas mãos de Maria, não porque eu não sei o que faço ou porque desconheço o que faz meu Senhor. Mas porque entrego toda minha liberdade nas mãos de Deus pelas mãos de Nossa Senhora.
    Pobre desta diocese em que o próprio bispo e sucessor dos apóstolos desencoraja as mais singelas e profundas devoções a Nossa Senhora.

    1. Veja bem, penso que não há um desencorajamento, mas um alerta, porque de fato há pessoas que se colocam sob a escravidão de Jesus por meio de Maria, mas não a vive.

      Há sim, de fato, uma frieza nessas devoções a Virgem Santíssima, porém sabemos, que quem as vive, se tornam verdadeiros santos.

      Paz e Bem! Salve Maria Imaculada!

  2. Ds nos livre! De um negócio desses!Dessa forma,fiquemos com a espiritualidade protestante :aceitou Jesus, morreu, já entrará diretamente na eternidade, destinada ao Santos. É CADA UM QUE APARECE NA IGREJA, ATÉ PARECE QUE CURSOU UNS DIAS DE TREINOS COM INTEGRANTES DO ESTADO ISLÂMICO. CREDO! !!!! DS NO LIVRE!

  3. Muitas situações alarmantes na Igreja do Brasil necessitariam prioridades em relação ao acima e a elas não seriam devotadas as devidas e necessarias atenções, como aos pestíferos partidos comunistas no poder, relativizando a nação e nunca interpelados pelos prelados!
    Os comunistas permanceram 13 anos empoleirados, devastando a nação, ajudando na proliferação de seitas de todas as tendencias , perseguindo a Igreja e ainda via ideologias marxistas transformando os cristãos em zumbis, nunca interpelados pelos prelados, salvas as raras exceções; o número de religiosos adeptos dos vermelhos seriam bem maiores que os confrontantes!
    Ao contrario, tivemos uma CNBB desde sua criação sempre ao lado das esquerdas, à idem TL e das pragas PSDB-PT, permitindo-se bispos e cardeais se envolverem com eles e os prestigiar, em detrimento da Igreja – D Hélder, D Arns, D Hummes, esse amistoso com o vampiro Lula, etc.
    Temos aí o carismatismo, gerando seitas protestantes disfarçadas de católicas; pelo menos as conhecidas, de nada se difeririam de comportamentos das pentecostalistas protestantes ou centros espíritas, tanto faz!
    As mulheres, A COMEÇAREM DE QUASE TODAS AS IDOSAS – as outras então… – em locais públicos, comportando-se como nas regiões meretricias! Aliás, se misturassem quase todas de “familias” às prostitutas, a partir das vestes, de tão imodestas que andam, que não se conseguiria as diferenciar!
    Dessas muitas acima “católicas”, existem varias indo às S Missas e comungando, parecendo que vieram da boîte de tão semi nuas e resolveram dar uma “passadinha na Igreja”!
    Onde estão, dentre tantas mais necessidades, os interpelantes dessas mulheres sensuais, exibidoras de corpos desnudos em locais públicos, verdadeiras ISCAS DE SATÃ?
    Essas mulheres são usadas por Satã para atiçarem paixões, cometerem em compartilhamento com os seduzidos todos os tipos de pecados contra o 6º Mandamento!
    Feliz e Santo Natal, Pe Marcelo, pois o próximo ano prometeria muitas surpresas – bem mais amargas…

  4. Pense daqui há cinquenta anos como serão os candidatos a Cátedra de Pedro.

    Meu Deus, tem piedade!

Os comentários estão desativados.