CONCLAMAÇÃO

nossasenhorafatima1

Caros irmãos em Cristo: Salve Maria Puríssima!

Sabemos que estamos na “contagem regressiva” com relação ao centenário da primeira aparição de Nossa Senhora em Fátima-Portugal (13|05|1917). Sabemos que sobre esta data há um – entre outros – mistério associando este e outro centenário ocorrido na França entre 1689 e 1789. Lá, foram protagonistas, além da Igreja, alguns reis e uma santa (à época, religiosa). Aqui, além da Santa Igreja, há presidentes e outra religiosa que haverá, ela também, de ser canonizada. E em lugar da França, a Rússia.

IR. CECÍLIA MARIA: O SORRISO QUE ABALOU O MUNDO

Hna_Cecilia-Carmelo_Santa_Fe-5
https://www.youtube.com/watch?v=fi0s8mkR8sA
EM BUENOS AIRES, a Irmã Cecilia Maria partiu sorrindo para a Casa do Pai após uma difícil luta contra o câncer. Milhares compartilham nas redes sociais as imagens de sua agonia fatal, ainda que pelas fotografias seja impossível identificar qualquer traço de sofrimento, já que ela enfrentou toda a provação sem jamais perder a paz e a santa alegria.
Cecília graduou-se em enfermagem, e aos 26 anos de idade fez seus primeiros votos como carmelita descalça. Em 2003 fez a sua profissão perpétua. Há seis meses, foi diagnosticado o câncer de língua, sendo que a doença mortal provocou a metástase pulmonar. Faleceu para este mundo na última quarta-feira, 22/6/016, durante a madrugada. Embora aparentasse bem menos, tinha 43 anos.
Vivia no Monastério de Santa Teresa e São José, em Santa Fé, Argentina. Dedicava-se à oração e à vida contemplativa, tocava violino e era conhecida por sua doçura e permanente sorriso.
Nas últimas semanas, a doença se agravou e ela foi hospitalizada. No leito, não deixou de rezar e oferecer seus sofrimentos a Nosso Senhor, com a certeza de que seu encontro com Deus estava próximo.
Em um pedaço de papel, escreveu o seu último desejo: “Estava pensando como queria que fosse meu funeral. Primeiro, um momento de forte oração, e depois uma grande festa para todos. Não se esqueçam de rezar e também de celebrar!”…
Seu testemunho e as fotos dos seus últimos dias falam por si mesmos; milhares de pessoas comovidas compartilham nas redes sociais a agonia exemplar da Irmã Cecilia, exemplo perfeito e contemporâneo do que é morrer em perfeita Comunhão com Deus, com fé plena e na convicção do Céu.

 

A esperança de Chesterton

1526787_390813851052752_1573867761_n

Dr. Tiago Bana Franco

Por que é tão interessante ler Chesterton? Eis a pergunta que não me saiu da cabeça desde que iniciei O Homem Eterno. É claro que o autor tem todos os predicados necessários para fazer com que os leitores rapidamente apaixonem-se por seus textos. Perspicaz e inocente. Hiperbólico e simples. Características incompatíveis que ele aliava com muito bom humor ao escrever.

Em tempo de Misericórdia Fácil, um Sermão Terrível e Tremendo

 

Anjo-Juizo

Caríssimos,

Salve Maria!

Estamos em meio a mais uma Quaresma. Abaixo o famoso Sermão do I Domingo do Advento do Pe. Antônio Vieira. As reflexões, embora alongadas, servem muito bem para cada um de nós neste tempo de Salvação. Caso não haja tempo para leitura completa, leia aos poucos , cada dia, mas é importante ler todo o texto, pois fará muito bem  à sua alma.

Uma Devoção Condenada pelo Papa Pio XII

Fe_Misericordia_Graphic
Caríssimo,
Salve Maria!
Hoje se fala tanto da ” Misericórdia Divina” – sobretudo agora no Ano Santo , que é bom não perder de vista o verdadeiro sentido teológico da Misericórdia Divina que não dispensa a Justiça, como sempre ensinou a Igreja.
Também aumenta-se, por toda parte, a Devoção à Divina Misericórdia segundo ” visões místicas” da polonesa Ir. Faustina. Também por determinação de João Paulo II, foi instaurada a Festa da Divina Misericórdia, para todo II Domingo da Páscoa, o antigo ” Domingo In Albis”
Mas vocês sabiam que esta devoção já foi Condenada pelo Papa Pio XII?
Vejam abaixo.
acta-apostolicae-sedis
10850063_10206520236912617_1089857296599056767_nTradução:
 Sagrada Congregação do Santo Ofício
Ata da Santíssima Congregação
Notificação
Faz-se notar que a Suprema Sagrada Congregação do Santo Ofício, tendo examinado as supostas visões e revelações da Irmã Faustina Kowalska, do Instituto Nossa Senhora da Piedade, falecida em 1938, na Cracóvia, resolveu da seguinte forma:
1 – dever-se proibir a difusão das imagens e dos escritos que apresentam a devoção da Divina Misericórdia “nas formas propostas pela mesma Irmã Faustina”;
2 – ser delegada à prudência dos Bispos o dever de remover as imagens acima referidas, que eventualmente tivessem já sido expostas ao culto.
Do Palácio do Santo Ofício, 6 de março de 1959.
______________________________________________________________________________________________________________________________________
Após muito ler e pesquisar, rezar e pedir à Deus, pela intercessão de Maria e dos santos, chego a conclusão do que aqui lhes apresento, certamente verás certos termos e frases já presentes em alguns sites, minha intenção é, portanto, agrupar estas já publicadas declarações, analisar, dar opinião e conduzir meu leitor ao mesmo fato que eu constatei, esta devoção nunca foi recomendada, pelo contrario, proibida.
Adendo: analisado as orações de devoção à Divina Misericórdia e eu não tenho encontrado qualquer erro. Mas há algo de errado no que rodeia esta nova devoção.
Estou ciente de que há pessoas, possivelmente, alguns dos que lêem neste momento, que podem sim ter recebido graças fazendo a devoção da Divina Misericórdia. Isso não significa necessariamente que esta devoção vem do Céu.
Deus sempre ouve nossas orações. Sempre que você receberá alguma graça por suas orações.
“Aqueles que orar com fé, e se esforça para ser agradável a Deus, receber as bênçãos que a Divina Majestade considerados para a santificação”.
quando esta devoção foi analisada por Pio XII, que não estava preocupado com as orações de devoção, mas com as circunstâncias das autoproclamadas aparições à Irmã Faustina e o conteúdo de tais aparições. Estava preocupado ele, com o que Nosso Senhor supostamente teria dito à Irma Faustino e o quanto disto foi à publico.
Então, Pio XII, colocou essa devoção, incluindo aparições e escritos da Irmã Faustina em Librorum Prohibitorum Index (Índice de Livros Proibidos). Esta lista não existe mais, uma vez que foi oficialmente abolida por Paulo VI em 14 de junho de 1966. Por um lado, é lamentável que não exista. Mas, por outro lado, se a lista ainda existisse hoje. seria extensa dado a quantidade do que se escreve hoje, contrário a fé Católica.
Assim, Pio XII colocou os escritos da Irmã Faustina no Índice de Livros Proibidos.
Significa que ele considerou que seu conteúdo poderia levar a católicos na direção errada.
A hoje Congregação para Doutrina da Fé, abaixo do controle direto do Papa, é responsável por manter a pureza da fé e da Doutrina, consequentemente, vigiar a disseminação dos documentos da Igreja. Se o Papa quer corrigir os fieis sobre um ponto particular, usualmente faz – ou fazia pelo menos – por intermédio do antigo Santo Oficio. Deste modo, podemos ver que as proclamações, declarações e documentos proveniente do Santo Oficio – ou Congregação para Doutrina da Fé – é senão, provenientes do próprio Papa; é certo que dado a crise atual, poderia duvidar se a mesma congregação mantém a obediência devida.
Não foi uma vez, senão duas vezes durante o pontificado de João XXIII (o mesmo que ‘perseguiu’ padre Pio), que esta devoção particular foi condenada pelo Santo Oficio. A primeira condenação veio de uma reunião geral realizada em 19 de Novembro de 1958. A declaração do Santo Oficio apresenta três conclusões sobre esta devoção:
  1. Não há evidencia de origem sobrenatural destas revelações.