“Como Deus fez vynno d’agua”: uma deliciosa cantiga medieval cristã!

 

 

bodas-cana

 

As “Cantigas de Santa Maria” são um conjunto de 427 composições em galego-português, o antigo idioma que deu origem ao português contemporâneo e que, no século XIII, era a língua da lírica culta em Castela – hoje território espanhol.

A autoria das cantigas costuma ser atribuída ao rei Afonso X, o Sábio. Embora não haja comprovação de que ele seja o autor direto de todas, não restam dúvidas sobre a sua participação na composição de muitas delas.

Na cantiga que aqui apresentamos, a de número 23, relata-se como Santa Maria “mudou o vinho num tonel, por amor à boa dama da Bretanha“. Trata-se de uma lenda, é claro, mas que mostra como a piedade popular baseava boa parte do seu folclore e cultura nas devoções do cristianismo.

Ouça a cantiga acionando o seguinte vídeo, que também mostra a letra original em galego-português. Você pode acompanhar, logo abaixo do vídeo, uma versão do texto mais próxima do português dos nossos dias.

 

Fonte: http://pt.aleteia.org/2016/04/26/como-deus-fez-vynno-dagua-uma-deliciosa-cantiga-medieval-crista/

Padre Fábio de Melo e seu romantismo sem Verdade

Salve Maria!

Em pregação na Canção Nova, Pe. Fábio de Melo denuncia a podridão da sociedade e daqueles que promovem o mal pelas drogas, prostituição e atentados à Família brasileira. Falou muito das “Sargetas da Vida”…A cada aplauso delirante da multidão,  aumentava seu entusiasmo..

Seria bom refletir onde estaria o ataque do Pe. Fábio de Melo às redes de comunicação, sobretudo à Globo destruidora das famílias que o elevou onde ele se encontra no mundo midiático..Onde estaria sua prática pastoral nas favelas, nas ruas, em meio aos excluídos da sociedade, ou apenas na vida paroquial, no silêncio ou anonimato de um confessionário que o padre astro não suporta., já que seu tempo é gasto  nas luzes  da ribalta e no conforto das imensas quantias de dinheiro que ele mesmo ganha em suas “evangelizações”…que custam mais de cem mil reais…

Suas palavras aqui são apenas blá-blá-blá romântico e antropológico, bem próprios dos modernistas que dizem coisas bonitas, adocicadas, ecumenicamente agradáveis, mas vazias de conteúdo da Verdade Católica.

Quem não entende nada, e se dirige por sentimentalismos achará, sem dúvida a palavra igualdade, fraternidade e liberdade a coisa mais bela do mundo, sem saber que por trás desta divisa estava a guilhotina da famigerada Revolução Francesa…

A fala do Pe. Fábio de Melo ” Bate Fofo”, desprovida de Verdade e de Testemunho. Um blá,blá, blá…Mas de Blá, blá, bla, a Canção Nova entende  e muito bem.

Amém. Aleluia, ôoo Glória!

Pe. Marcélo Tenorio

Princípios de Estética na Música

 Salve Maria!
O vídeo acima é de grande importância para entendermos a questão da Música na vida do cristão católico.A música nunca é neutra: ou nos aproxima de Deus, ou nos coloca em sentido oposto, visto que em tudo, mas também na música deve – se deve buscar o Bom, o Belo e o Verdadeiro. Aqui é colocado de forma precisa questões importantíssimas em relação ao romantismo que invadiu a Igreja e que teve repercussão nas péssimas músicas cantadas hoje na Liturgia, quer por “bandinhas” ditas católicas, quer por movimentos inovadores. É a partir do romantismo musical  que a alma, passo a passo vai se inclinando ao sentimentalismo, ao abstrato, ao não-real, aproximando-se mais e mais do protestantismo e gnosticismo. Vale a pena assistir e, assim, fugir de tudo isso , para se permanecer católico.