A FSSPX é cismática? – Uma pergunta, uma resposta


Assunto: Outros Assuntos
Nome: ICG
Email: xxxxxx
Religiao: Católica
Titulo: FSSPX
 A paz de Cristo e as bençãos de Maria Santíssima.
Parabéns pelo site! Graças a Deus que existem pessoas como vocês que lutam pela defesa da Santa Igreja Católica Apóstolica Romana,a única Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo. 


Tenho uma dúvida: a FSSPX são ou não cismáticos, são ou não fiéis à Igreja? Qual a posição da Igreja, hoje, em relação a isso?

Deus vos proteja. Amém

 Resposta
 Prezado ICG,
Salve Maria!
Eminentes prelados da Igreja disseram que para a FSSPX falta apenas uma “comunhão mais perfeita” que, acreditamos, estará logo mais resolvida pelo provável acordo que se aproxima. 
Infelizmente, existem na Fraternidade São Pio X posturas e ideias que, em alguns casos, aproximam-se e até culminam em um cisma prático. Recordo-lhe, por exemplo, o caso do Bispo Richard Williamson, que, além de pretender “retirar” do Papa o volante da Igreja, opõe-se a Dom Fellay quanto à realização de um acordo com Roma.
Muitos grupos da FSSPX, influenciados por este espírito sectário, também manifestam oposição à busca de proximidade e reconciliação com o Romano Pontífice. Classificam como “imprudência” e “traição” a comunhão jurídica com um Papa, injustamente acusado de heresia modernista. Por isso, exigem antes a conversão das autoridades para somente depois falar em submissão.
Essa posição está estritamente ligada à absurda tese do Pe. Mérel da FSSPX. Segundo esse padre, submeter-se ao Papa é trair tudo o que fez Monsenhor Lefebvre.  Deste modo, conclui o padre, é preciso romper intencionalmente e voluntariamente com a hierarquia visível da Igreja. (vide artigo: Por que a “Tradição” não vai á Missa?
Jamais os santos e doutores da Igreja defenderam a rebelião cismática. Nos casos de desvio das autoridades, ensinaram que é preciso resistir ou mesmo repreendê-las respeitosamente quando estas colocarem em perigo a salvação das almas.
São Paulo resistiu e repreendeu São Pedro, quando este procedeu contra a verdade do Evangelho. No entanto, o Apóstolo permaneceu unido ao Vigário de Cristo e não fez declaração de ruptura alguma.
Haveria outras objeções a responder, mas acredito que estabelecido o acordo entre Roma e a FSSPX, o próprio Superior-Geral da Fraternidade São Pio X responderá satisfatoriamente aos seus “amigos e benfeitores”.
No mais, rezemos por esse acordo que será uma grande vitória contra o modernismo do Vaticano II.
Escreva-nos sempre!
In Corde Jesu, semper
Eder Silva