Venezuela: seminaristas são despidos e humilhados

seminaristas

Cinco estudantes do seminário San Buenaventura, de Mérida, na Venezuela, foram despidos, agredidos e presos em um bueiro por grupos que apoiam o governo de Nicolás Maduro. Os atos de violência foram cometidos na manhã da última sexta-feira, 1º de julho, quando os estudantes passavam perto do local em que se realizaria uma iniciativa solidária de entrega de medicamentos, com a presença da esposa do preso político Leopoldo López.

Arcebispo de Maringá critica documento da CNBB por não fazer referência à corrupção

a04ea6c2a3

 

Caríssimos,

Salve Maria

Se a CNBB não se posicionar, de forma clara e sem apadrinhamentos, sobre a grave situação política do Brasil, estará cometendo um grande erro histórico imperdoável. Se nos lembrarmos da atuação da CNBB em falas e em documentos, pronunciamentos na década de 80, é por demais estranho o seu silencio na conjuntura hodierna. Onde  se encontram as chamadas “vozes proféticas”?

EM CLIMA DE “MISERICORDIA” , GAROTO DA PUC-GOIÁS É AMEAÇADO DE EXCOMUNHÃO

 image

Caríssimos, Salve Maria!

Colocamos aqui um pouco da polêmica envolvendo um estudante da Pontifícia Universidade Católica de Goiás,  Marco Rossi. Numa conferência dentro da Instituição, o jovem se pronunciou contrário ao pensamento comum dos que estavam à mesa, sendo retirado em seguida.

Pio XII apoiou planos para derrubar o regime nazista, revela novo livro

Hitler_DasBundesarchiv_CC-BY-SA_3_0_PioXII_DominioPublico

DENVER, 07 Mar. 16 / 08:00 pm (ACI).- O apoio secreto do Papa Pio XII a tentativas de derrocar o ditador nazista Adolf Hitler é o tema de um novo livro, que aborda documentos de guerra e entrevistas com o agente de inteligência americana que os escreveu. O título do livro (tradução livre) é “A Igreja dos Espiões: A guerra secreta do Papa contra Hitler”, do historiador Mark Riebling.

União dos Juristas Católicos de São Paulo adverte: ‘Teremos surpresas após as eleições’



juristas




A União dos Juristas Católicos de São Paulo (UJUCASP) prevê que após as eleições, na eventualidade da reeleição da presidente Dilma Rousseff, os brasileiros serão surpreendidos com uma nova portaria do Ministério da Saúde regulamentando o aborto nos hospitais conveniados com o SUS.

A advertência foi realizada durante a reunião ordinária da entidade, que ocorreu na manhã de segunda-feira, 9.

Segundo o Dr. Ives Gandra Martins, presidente da entidade católica que atualmente reúne 80 sócios entre desembargadores, juízes e advogados, “não devemos nos iludir com a revogação da portaria 415 por parte do Governo Federal, que pressionado pela má repercussão política da medida, atuou em modo de evitar desgaste político eleitoral”.

Existem atualmente em trâmite no Congresso Legislativo cerca de seis diferentes projetos de lei que visam regulamentar a matéria do aborto no Brasil. Em parte, o efeito político negativo se deu porque a Portaria 415 do Ministério da Saúde foi baixada a revelia do debate que ocorre no Legislativo. “Na eventualidade de ser veiculada nova portaria após as eleições, os projetos em tramitação no Congresso Nacional simplesmente perderão relevância em face do fato consumado, 
 passar pelo necessário debate público”, explicou o jurista


Escolas e hospitais católicos correm risco de extermínio


Outro tema que foi levantado durante o encontro foi os efeitos do Decreto 8.242, da presidente Dilma Rousseff, sobre as escolas, universidades, hospitais e demais instituições privadas não lucrativas, e que, pelo seu caráter assistencial, gozam do direito constitucional de imunidade de taxas e impostos, tais como IPTU, IPI, ICMS e Imposto de Renda.

Segundo os juristas, o decreto presidencial dificulta a aplicação destes direitos constitucionais, colocando em risco a existência dessas instituições que, sem essas imunidades tributárias, não conseguem sobreviver. O resultado final é o prejuízo do bem-estar social da população carente, maior beneficiária dos serviços prestados por essas instituições que atuam, sobretudo, nos setores da educação e da saúde.

Segundo o Dr. Sergio Arcury, ex-presidente da Ação Paulista deEstabelecimentos de Ensino Médio, cerca de 6 mil instituições de ensinotiveram que fechar as suas portas, nos últimos anos, em todo o Brasil.

Além disso, quase todas as Santas Casas atualmente sobrevivem subsidiadas pelos Governos Estaduais, já que o Governo Federal há 19 anos não atualiza os valores pagos pelo SUS pelos procedimentos realizados nos hospitais conveniados. Significa dizer que as Santas Casas de Misericórdia recebem hoje, por qualquer cirurgia que realizam, o mesmo valor que recebiam há duas décadas.

Na visão dos juristas, O decreto 8.242 também atenta contra a democracia, já que substitui o Congresso Nacional na edição de lei complementar para definir os limites do gozo das imunidades tributárias. (MR)

Vetado pelo Governo francês um Bispo que celebra Missa Tridentina






Summorum Pontificum com efeitos civis: nas dioceses controladas pelo Estado francês, não a Bispo que celebra a Missa Antiga… 

Há muitos anos são celebradas missas diárias no rito antigo na paróquia Santo Eugênio e Santa Cecília, em Paris. Um dos párocos que por lá passou tornou-se bispo: é Dom Jean-Pierre Batut, Bispo auxiliar de Lyon. Ora, vagando a Sé de Metz, o Núncio Apostólico Dom Luigi Ventura, incluiu seu nome na lista tríplice apresentada ao Vaticano e – segundo várias fontes consultadas pelo Riposte Catholique – ele teria sido escolhido pelo Cardeal Ouellet e confirmado pelo Papa Francisco. Porém, segundo a Concordata de Napoleão, competiria ao governo francês aprovar ou não a nomeação do bispo de Metz… e o nome de Dom Batut teria sido recusado – por suas “amizades fanáticas” (como diria a Revolução Francesa) e por sua posição contra o casamento gay, instituído pelo governo socialista. 

Em seu lugar foi “abençoado” por Hollande Dom Legleize, um Bispo rigorosamente sem sal nem açucar, incapaz de reagir mesmo quando não concorda com algo e bastante frio em relação a atitudes que pudessem compromete-lo, como Marchas pro Familia.. 

Uma verdadeira lesão aos direitos da Igreja! Felizmente – e isso nos conforta! – a divisa episcopal de Dom Batut é a palavra de São Paulo: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?”